Tecnología

Trump agita plano “secreto” de acordo com o México sobre migrantes revelando alguns detalhes

O Presidente dos EUA, Donald Trump, mostrou esta terça-feira, inadvertidamente ou não, um documento contendo detalhes de um projeto de asilo regional acordado com o México. Apesar de Trump se referir a ele como um plano “secreto”, uma parte substancial deste já foi revelado pelas autoridades mexicanas, lembra a agência de notícias Reuters .

Trump não mostrou explicitamente o texto de qualquer documento nem forneceu detalhes mas várias fotografias permitiram a leitura de partes do acordo.

Sob pressão de Washington, que ameaçou aplicar um progressivo aumento das taxas alfandegárias sobre produtos mexicanos, o México assinou um pacto na semana passada para controlar o fluxo de migrantes da América Central. Um dos pontos do acordo é a mobilização de seis mil agentes da Guarda Nacional ao longo da fronteira mexicana com a Guatemala, a partir desta quarta-feira.

México tem 45 dias para mostrar eficácia dos esforços O ministro mexicano das Relações Exteriores, Marcelo Ebrard, revelou ainda ter sido acordado um cronograma de 45 dias para mostrar a eficácia dos esforços de fiscalização e redução do fluxo de migrantes centro-americanos que atravessam o México em direção aos Estados Unidos. Se isso falhar, Ebrard concordou considerar a exigência antiga dos EUA de que os requerentes de asilo da América Central procurem refúgio no México e não em solo americano.

No entanto, o chefe da diplomacia mexicana também referiu que os países centro-americanos deveriam partilhar os encargos, algo com que Washington terá concordado. Marcelo Ebrard disse igualmente que os requerentes de asilo começariam a ser mobilizados para aguardar a resolução dos seus casos no México em cidades a definir na próxima sexta-feira.

Jabin Botsford/The Washington Post/Getty Images

O documento que Trump agitou à frente dos jornalistas define “uma abordagem regional para a partilha de responsabilidades no processamento dos pedidos do estatuto de refugiados” e também menciona os tais “45 dias”, além de sustentar que o México se havia comprometido a examinar de imediato a sua legislação para permitir a aplicação do acordo.

O secretário de Estado norte-americano, Mike Pompeo, avisou na segunda-feira que os EUA iriam avaliar “diariamente” os esforços do México, enquanto o vice-presidente, Mike Pence, também aludiu a uma abordagem regional, sugerindo que a Guatemala poderia acolher requerentes de asilo de países vizinhos.

Número recorde de detenções em maio Na semana passada, a agência norte-americana da alfândega e proteção de fronteiras anunciou que as detenções de migrantes em maio atingiram o nível mais alto em mais de uma década.

Quase 133 mil imigrantes que tentavam entrar nos Estados Unidos, a partir do México, foram detidos no mês passado, o que representa um aumento de 33% em relação a abril. Incluídas naquele número estão mais de 84 mil famílias e mais de 11 mil crianças desacompanhadas, revelou a agência.

As detenções de maio representam o mais elevado valor mensal desde que Trump assumiu funções como Presidente.