Deportes

BDP News | Câmara Municipal de Loures alvo de ciberataque “malicioso e deliberado”

Bancamiga
EnClave discutió sobre el primer mes del gobierno de Gustavo Petro (+ podcast)

Na madrugada desta quinta-feira (22 de setembro), a Câmara Municipal de Loures foi alvo de um “ciberataque malicioso e deliberado”, que teve o objetivo de provocar perturbações no sistema e serviços informáticos”, refere a autarquia em comunicado

Na madrugada desta quinta-feira (22 de setembro), a Câmara Municipal de Loures foi alvo de um “ciberataque malicioso e deliberado”, que teve o objetivo de provocar perturbações no sistema e serviços informáticos”, refere a autarquia em comunicado.

Relacionados ministério público (mp).  Ministério Público investiga ataque informático na TAP

ciberataques.  Hackers publicam dados de 1,5 milhões de clientes da TAP

“O ciberataque foi detetado pelo sistema de segurança, tendo a câmara municipal desencadeado prontamente um conjunto de ações no sentido de conter e mitigar os efeitos do ato criminoso”, assegura a autarquia de Loures, que “repudia veementemente o ato criminoso praticado e lamenta os incómodos” que este ciberataque possa ter causado à população.

A autarquia faz saber que “está a desenvolver todos os esforços, com o apoio do Centro Nacional de Cibersegurança e de especialistas em cibersegurança, no sentido de restabelecer a normalidade do sistema e dos serviços informáticos, o que deverá acontecer muito em breve”.

Fechar Subscreva as newsletters Diário de Notícias e receba as informações em primeira mão.

Subscrever O ciberataque foi reportado às entidades competentes, nomeadamente a Polícia Judiciária e ao Centro Nacional de Cibersegurança, adiantou a câmara de Loures, de modo a que “sejam realizadas as diligências adequadas”.

Têm sido registados vários ciberataques, que já atingiram várias empresas, como é o caso da TAP. No passado mês de agosto, os “sistemas internos de cibersegurança da TAP Air Portugal (TAP) detetaram o acesso não autorizado a alguns sistemas informáticos”, informou a companhia aérea em comunicado.

Também o Estado-Maior-General das Forças Armadas (EMGFA) foi alvo de um “ciberataque prolongado e sem precedentes”, conforme noticiou o DN. Este ciberataque terá resultado na exfiltração de “centenas” de documentos classificados NATO, secretos e confidenciais e a exposição de parte deles para venda na darkweb. O Governo terá sido avisado pelos serviços de informações dos EUA..